Os principais desafios da tradução jurídica

Sobre o autor

Luiz Fernando Casanova Doin

é fundador e sócio-diretor da BTS – Business Translation Services, empresa de tradução sediada em São Paulo com mais de 15 anos de existência e mais de 5.000 clientes atendidos. Formado em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo (USP) e em Comunicação Social com ênfase em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), é um apaixonado pela área de tradução e um estudioso do setor que procura aliar seus conhecimentos acadêmicos e experiência à prática tradutória.

Os principais desafios da tradução jurídica

A tradução jurídica é um trabalho para especialistas. Qualquer erro ou tradução dúbia ou fora do contexto pode levar a questionamentos jurídicos das partes envolvidas – e isso raramente termina bem.

Esse tipo de tradução exige um conhecimento profundo dos termos e jargões específicos e atenção aos detalhes.

Listamos abaixo os cinco principais desafios da tradução jurídica!

1. Os sistemas jurídicos são diferentes de um país para outro

Os sistemas jurídicos variam muito nos diferentes países, assim como os documentos específicos que precisam ser traduzidos. Essa variedade de documentações exigidas para a atuação de uma empresa em uma determinada legislação cria o ambiente ideal para ambiguidades na tradução. 

Os especialistas devem estar cientes da existência de termos sem equivalentes ou com vários equivalentes no idioma de destino. Eles também devem ser treinados para identificar o uso correto de cada termo, dependendo do contexto, para evitar mal-entendidos.  

Sem o conhecimento adequado da terminologia jurídica, é muito provável que os tradutores deixem espaço para interpretações e questionamentos. Isso pode facilmente causar disputas posteriores, com muitas consequências possíveis sobre os recursos e a reputação do cliente. 

Na BTS, trabalhamos com tradutores com experiência comprovada e, dessa forma, asseguramos que eles dominam os jargões e as terminologias do sistema jurídico, entregando uma tradução tecnicamente precisa, pouco propensa a questionamentos.

2. As leis evoluem e os sistemas mudam

Não apenas os sistemas jurídicos são diferentes, como eles estão sempre mudando e se atualizando. Modelos e diretrizes que funcionavam há um mês podem não ser relevantes quando você realizar o seu projeto de tradução. 

Os tradutores jurídicos devem acompanhar uma série de normas e regulamentos que mudam da noite para o dia. Isso significa acompanhar tudo o que acontece nos dois países, além de ficar de olho em todas as novas leis que possam afetar seu trabalho. 

Na nossa equipe, sempre incentivamos os nossos tradutores a realizarem cursos e treinamentos de atualização. Dessa forma, a BTS sempre tem tradutores atualizados.

3. A seleção de palavras não deixa espaço para interpretações

Os executivos da área jurídica geralmente falam um “idioma dentro do idioma”, usando termos e jargões que até mesmo falantes nativos não entendem e muitas vezes utilizam de maneira inadequada. Acrescente a isso o fato de que a terminologia em documentos jurídicos geralmente é muito rígida e você entenderá por que não há espaço para erros ou mal entendidos.

Obviamente, os tradutores devem interpretar o documento de origem e entender o significado por trás dele. No entanto, eles têm opções muito limitadas quando se trata de escolher as traduções mais precisas. 

Trabalhar com um glossário de termos e construir uma memória de tradução sólida podem ser as melhores maneiras de superar esse desafio na tradução de documentos jurídicos. Isso também economiza tempo no projeto e reduz os riscos de erros de tradução. Pensando nisso, a BTS criou um enorme repositório de memórias de tradução ao longo dos seus 25 anos, contando com um banco terminológico muito rico.

4. Sintaxe e pontuação requerem atenção aos detalhes

A parte mais complicada da tradução de documentos jurídicos é a sua sintaxe. Além disso, a maioria desses documentos usa uma série de palavras pomposas e ambíguas que tornam o material difícil de ler. 

O setor jurídico adora usar a voz passiva: frases complexas que parecem intermináveis, com um número infinito de vírgulas, pontos e vírgulas e apóstrofos. As regras de pontuação também não são universais.

A má notícia é que a tradução deve ser fiel ao original, já que a maioria dos países se baseia nas mesmas melhores práticas da linguagem jurídica pomposa ao redigir documentos legais. É muito fácil transformar uma vírgula em ponto-e-vírgula ou adicionar um ponto final no lugar errado. 

A melhor maneira de evitar esse tipo de erro é ter um bom revisor. Na BTS, trabalhamos com revisores qualificados que integram a equipe de tradutores jurídicos.  

5. Prazos rígidos

Na maioria das vezes, os documentos legais estão vinculados a eventos que envolvem tribunais, prazos e ações corporativas. Todos eles têm alguns cronogramas rígidos em comum. Atrasos neste setor podem desencadear uma série de eventos desagradáveis ​​para a empresa de tradução, bem como para seus clientes e parceiros de negócios desses clientes. 

A BTS é famosa por cumprir prazos muito apertados! Somos conhecidos por sempre trabalhar com prazos apertados e fazer as entregas com a mesma excelência!

Você pode conferir um case de tradução jurídica de sucesso no nosso, onde cumprimos um prazo considerado impossível por muitos.

Como você pode ver, traduzir documentos jurídicos é uma tarefa complexa que exige habilidades linguísticas, conhecimento jurídico e, muitas vezes, velocidade. 

Portanto, conte com quem entende do assunto! Fale com a BTS e obtenha a melhor solução em traduções jurídicas!

Compartilhe esse Post:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp