Criadores de legendas ganham o reconhecimento dos fãs de séries

Sobre o autor

Luiz Fernando Casanova Doin

é fundador e sócio-diretor da BTS – Business Translation Services, empresa de tradução sediada em São Paulo com mais de 15 anos de existência e mais de 5.000 clientes atendidos. Formado em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo (USP) e em Comunicação Social com ênfase em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), é um apaixonado pela área de tradução e um estudioso do setor que procura aliar seus conhecimentos acadêmicos e experiência à prática tradutória.

Ficar em frente a uma tela de computador ouvindo diálogos, traduzi-los e, depois, sincronizar os textos prontos com as imagens, para distribuir para desconhecidos. E sem ganhar absolutamente nada para isso. Absurdo? Pois saiba que, para alguns, o hobby de criar legendas de séries virou coisa muito séria.

Os tradutores – ou “legenders”, como eles também são chamados – trabalham quase sempre em grupo para pôr na internet legendas de episódios que acabaram de ir ao ar nos Estados Unidos de forma rápida e eficiente. “Nosso recorde foi com uma legenda de ‘Smallville‘, que lançamos 3 horas e meia depois do episódio ter sido exibido lá fora”, orgulha-se Ricardo Maranhão.

Ricardo é o fundador de um site que dispõe gratuitamente mais de 35 mil legendas – a maioria, de séries – a um público de 386 mil usuários cadastrados, que não pagam nada para fazer os downloads. Um projeto que começou meio que por acaso.

“Perdi o começo de um episódio de ‘The O.C.‘ na TV e fui tentar achá-lo na Internet. Ao assisti-lo, percebi a necessidade de fazer legendas para os que não sabem inglês”, contou.

Dentre seus dedicados colaboradores está Klenny Amorim, 27 anos, funcionária do Ministério das Relações Exteriores. Formada em Letras, Klenny começou a legendar graças a “Lost“: “O administrador de um fórum sobre a série do qual participo sugeriu que fizéssemos legendas para os que baixavam os episódios, com o objetivo de divulgar o seriado”, contou.

Hoje em dia – como parece acontecer com todos os que se envolvem com esse trabalho – Klenny faz legendas para outras séries também. “Já fiz para ‘Veronica Mars’, mas parei. Atualmente, estou com ‘Nip/Tuck’, ‘Heroes‘ (que ainda não estreou no Brasil) e ‘24 Horas’. Não faço idéia de quantas já legendei. Foram tantas…”, afirma.

Todos os envolvidos com legendagem online sustentam que não ganham por isso. Muito pelo contrário. “Já tirei dinheiro do próprio bolso para manter minha página no ar”, conta Aderson Junior, coordenador de um site rival do de Klenny, e que apenas conta com a boa vontade de seus 30 tradutores. E que boa vontade.

“Já perdi noites de sono trabalhando em uma legenda”, conta Eduardo Sant’Anna, que trabalha com Aderson. Estudante de intercâmbio no Canadá, Eduardo começou fazendo apenas legendas para “One Tree Hill“, sua série favorita. E hoje… “Cuido dos episódios de ‘24 Horas‘, de ‘Prison Break‘ e volta e meia um ou outro episódio de uma série diferente cai na minha mão”, diz.

Muito trabalho, nenhuma remuneração. Então, qual seria o prazer dessa turma? A resposta é sempre a mesma: fazer com que os fãs que não falam inglês tenham a chance de ver os episódios de suas séries favoritas.

“Todos começam com a série preferida e acabam envolvidos de verdade. Adoro ver que ajudei as pessoas e leio sempre os agradecimentos que me são enviados. E isso é que me faz continuar a trabalhar com legendas”, resume Eduardo. “É muito gratificante mesmo”, concorda Ricardo.

Por Carlos Alexandre Monteiro

Fonte: http://tv.globo.com/Entretenimento/Tv/Noticia/0,,AA1302042-7175,00.html

Compartilhe esse Post:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp