Logo BTS Empresa de Tradução

Be prepared: O que um profissional precisa ter para ser legendador

Sobre o autor

BTS: Luiz Fernando Casanova Doin

Luiz Fernando Casanova Doin

é fundador e sócio-diretor da BTS – Business Translation Services, empresa de tradução sediada em São Paulo com mais de 15 anos de existência e mais de 5.000 clientes atendidos. Formado em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo (USP) e em Comunicação Social com ênfase em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), é um apaixonado pela área de tradução e um estudioso do setor que procura aliar seus conhecimentos acadêmicos e experiência à prática tradutória.

Mas o que um profissional precisa para entrar neste mercado de trabalho?

– A profissão não é regularizada, então não é necessário ter curso de tradução, embora isso ajude bastante, opina Marcelo.

Sylbeth concorda, e diz que a cultura geral é o bem mais precioso de quem pretende se especializar nas pequenas linhas amarelas.

– Quando um homem de negócios fala com outro na tela, eles vão usar uma linguagem própria, vão citar assuntos que podem não estar na cabeça de todo mundo. Se falam de uma peça dos anos 1950, por exemplo, você precisa saber do que se trata para reconhecer.

É desejável ainda que a pessoa interessada tenha um ótimo conhecimento das línguas portuguesa e inglesa, e esteja familiarizada com a cultura do país de origem do produto que vai traduzir.

Webseries

Existem ainda, no entanto, aqueles profissionais que optam pelo, digamos, mercado negro da legenda nacional. São os internautas dispostos a disponibilizar na rede a tradução de um capítulo de Lost, por exemplo, apenas algumas horas depois da exibição deste  nos Estados Unidos. A atividade é ilegal, já que se baseia e difunde o download de arquivos sem autorização das produtoras norte-americanas.

– Tem muita gente que faz um ótimo trabalho. Algumas das legendas são boas, mas em geral tem muitos erros, comenta Sylbeth.

Thaís costuma acompanhar o movimentos nos fóruns virtuais. Ela mesma já produziu legendas para a rede antes de procurar um curso especializado e se profissionalizar.

– Alguns erros são por falta de prática mesmo. Mas eles têm uma liberdade maior para produzir, e isso acaba gerando qualidade também, defende.

Mesmo sendo fluente em inglês, ela colocar seu lado tradutora para descansar quando chega em casa – e não gosta de assistir a séries sem legenda.

– Não quero abrir mão de relaxar assistindo à série. Sempre vai ter 10% que eu não vou entender. Os outros 90% eu vou me esforçar e acabar entendendo. Mas não quero entender. Quero ler na tela.

Fonte: http://estrelando.r7.com/series/nota/legendadores-68113.html

5/5 - (4 votes)

Compartilhe esse Post:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp