Site em português Site em inglês
BTS - Business Translation Services 11 3289.2289
info@btsglobal.com.br
Google Plus Linkedin Twitter Facebook
Empresa de Tradução com mais de 15 anos e 5.000 clientes atendidos.

Idiomas oferecidos

Tradução para português Tradução para inglês Tradução para espanhol Tradução para italiano Tradução para alemão Tradução para francês
Publicado por Luiz Fernando Casanova Doin, em 08/11/2012, na(s) categoria(s): Notícias.

Tradução vira ”telefone sem fio”

Fala era vertida ao inglês e depois ao farsi ou vice-versa

Denise Chrispim Marin e Tânia Monteiro, BRASÍLIA – O Estadao de S.Paulo

Uma espécie de telefone sem fio foi montado pelo governo para permitir que o presidente Lula e seu colega do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, pudessem conversar por três horas, no Itamaraty, além de se fazerem entender nos discursos e na entrevista à imprensa.

A fala de Lula em português era vertida ao inglês por um intérprete e, em seguida, traduzida para o farsi, idioma oficial do Irã. As declarações de Ahmadinejad faziam o caminho contrário.

A ausência de intérpretes do farsi para o português foi a razão desse caminho tortuoso, no qual expressões se perderam ou ganharam sentido menos literal. Mesmo sob essa pequena Torre de Babel, oito documentos foram assinados – todos pouco substanciais.

A confusão mais grave surgiu na entrevista, quando Ahmadinejad mencionou a quantidade de urânio enriquecido a baixo teor que o Irã deverá enviar ao exterior, para receber em troca o combustível para um reator de Teerã, conforme acordo mediado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Para o português, o primeiro número foi 250 quilos, seguido por 1.250 e, depois, por 2.250. O número correto seria de 1.200 a 1.500 quilos.

Depois da confusão dos tradutores, Ahmadinejad iria para o Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) para um debate com estudantes. Mas, como a Polícia Federal foi informada em cima da hora, a programação foi cancelada.

A diretora-geral do Iesb se disse contrária às polêmicas pregações do iraniano. “Os alunos têm que confrontar suas ideias com as dos outros”, disse Eda Coutinho. Ela admitiu que a visita poderia desgastar a imagem do Iesb, por abrir as portas a um líder conhecido por posições autoritárias.
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20091124/not_imp471085,0.php

No Comments »

No comments yet.

Leave a comment