Site em português Site em inglês
BTS - Business Translation Services 11 3289.2289
info@btsglobal.com.br
Google Plus Linkedin Twitter Facebook
Empresa de Tradução com mais de 15 anos e 5.000 clientes atendidos.

Idiomas oferecidos

Tradução para português Tradução para inglês Tradução para espanhol Tradução para italiano Tradução para alemão Tradução para francês
Publicado por Luiz Fernando Casanova Doin, em 08/11/2012, na(s) categoria(s): Notícias.

Tradução errada faz Hillary presentear chanceler russo com “botão de sobrecarga”

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, presenteou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, com um “botão de reiniciar” para simbolizar a melhoria nas relações entre os dois países, mas o presente causou risos porque a palavra “reiniciar” foi traduzida de forma errada pela palavra russa “sobrecarregar”.

“Eu gostaria presenteá-lo com um pequeno presente que representa o que o presidente [Barack] Obama e o vice-presidente [Joe] Biden e eu temos a dizer e que é: ‘Queremos redefinir a nossa relação’ e por isso vamos fazê-lo juntos”, disse Clinton, presenteando Lavrov com uma caixa do tamanho de um palmo com um botão vermelho.

Clinton brincou com Lavrov: “Nós demos duro para chegar à palavra russa correta. Você acha que conseguimos?”.

“Vocês se enganaram”, disse Lavrov, sorrindo enquanto os dois apertavam juntos o botão, antes de um jantar em um hotel de Genebra.

Ele disse à secretária de Estado que a palavra grafada no botão, “peregruzka”, significava “sobrecarga”, ao que ela respondeu: “Não vamos deixar você fazer isso para nós.”

Em inglês, a palavra usada por Hillary para definir o que deveria estar escrito no botão foi “reset”, que tem o significado inicial de recolocar, rearranjar, redefinir, mas que é utilizada em informática com o sentido de reiniciar. Uma pesquisa simples emtradutores gratuitos na internet mostra que a palavra escolhida pelos americanos –em alfabeto cirílico– tem o significado indicado por Lavrov, e não aquele a que o Departamento de Estado chegou após o “trabalho duro” indicado por Hillary.

Depois da sessão de fotos, com Clinton e Lavrov apertando juntos o botão, porta-vozes russos explicaram que a palavra certa deveria ser “perezagruzka”, não “peregruzka”.

Hillary disse que os EUA buscam “reiniciar” –ou redefinir– a relação com a Rússia, uma expressão que foi utilizada pela primeira vez por Joe Biden em uma conferência de segurança em Munique.

Lavrov disse que iria colocar o presente na sua mesa de trabalho.

“Sem mal-entendidos”

Antes de encontrar-se com Lavrov, Hillary afirmou que a cooperação com a Rússia impulsionada pelo governo de Obama não afeta o apoio à independência e liberdade da Geórgia e de outros países do Leste da Europa. O alerta foi feito um dia depois de Hillary pedir um “novo começo” nas relações entre a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e a Rússia.

“Não queremos nenhum mal-entendido”, advertiu Hillary em um debate com jovens na sede do Parlamento Europeu em Bruxelas. “Nosso compromisso com a Rússia não altera em nada nosso apoio a países como a Geórgia, os bálticos ou os Bálcãs para que sejam independentes, livres, tomem suas próprias decisões ou elaborem seu próprio caminho sem a indevida interferência da Rússia.”

Os dois países, que foram rivais na Guerra Fria, principalmente entre as décadas de 50 e 80 do século 20, voltaram nos últimos anos a disputar influência sobre regiões que antes estavam sob domínio ou controle da União Soviética.

A expansão da Otan para o Leste Europeu, com o projeto de instalar bases antimísseis em países que eram comunistas durante a Guerra Fria, como a Polônia, e o movimento para atrair as ex-repúblicas soviéticas Ucrânia e Geórgia para a aliança militar ocidental sofrem forte oposição da Rússia.

O país usa uma política agressiva de subsídios econômicos e sanções comerciais para manter em sua esfera de influência os países que faziam parte da União Soviética, tentando minar os progressos americanos na região. No mês passado, o Quirguistão determinou que os EUA fechassem uma base aérea que mantêm no país, dias depois que o governo da ex-república soviética recebeu US$ 2 bilhões de Moscou.

Com agências internacionais

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u530612.shtml

No Comments »

No comments yet.

Leave a comment