Site em português Site em inglês
BTS - Business Translation Services 11 3289.2289
info@btsglobal.com.br
Google Plus Linkedin Twitter Facebook
Empresa de Tradução com mais de 15 anos e 5.000 clientes atendidos.

Idiomas oferecidos

Tradução para português Tradução para inglês Tradução para espanhol Tradução para italiano Tradução para alemão Tradução para francês
Publicado por Luiz Fernando Casanova Doin, em 08/11/2012, na(s) categoria(s): Notícias.

Programa para tradutores

O português é uma língua periférica no mundo das traduções, e à exceção de Jorge Amado, Paulo Coelho, Machado de Assis, Clarice Lispector e outros poucos, é tímida a penetração dos autores brasileiros nos mercados editoriais estrangeiros. Com o objetivo de internacionalizar nossa literatura, um pacote estratégico para a década que se inicia está sendo lançado pela Biblioteca Nacional. A ideia é atrair o olhar de fora tanto para os clássicos quanto para a produção contemporânea.

Hoje, durante a Bienal do Livro, aberta ontem pela presidente Dilma Rousseff, o presidente da Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, vai anunciar as medidas; entre elas, um programa de residência de tradutores estrangeiros no Brasil. Dez profissionais serão selecionados para vir passar de dois a seis meses, já em meados de 2012.

“Serão convidados a morar em diferentes cidades, conhecer mais a língua, a cultura, encontrar escritores, ter contato com o meio acadêmico”, explica Galeno. “Não é que não exista qualidade nas traduções, mas é importante que vejam os cenários, os personagens.”

Em julho, foram anunciados investimentos de R$ 12 milhões, até 2020, em bolsas de tradução. Emissários estão fazendo visitas pela América do Sul e Europa para espalhar informações sobre o programa, que vale para primeiras publicações e reedições de títulos fora de catálogo.

Outra novidade são os editais a serem lançados para a permanência de autores brasileiros no exterior, para que eles sejam os próprios garotos-propaganda de suas obras, deem palestras e entrevistas. O apoio à publicação e à divulgação em países lusófonos é mais uma frente. “Temos bem menos traduções do que poderíamos”, diz Galeno, que vem trabalhando em parceria com o Itamaraty e com as editoras. “O Brasil desfruta hoje de uma imagem muito positiva, é tido como a bola da vez, precisamos aproveitar esse momento.”

“Não basta o livro ser maravilhoso, tem que ter apelo internacional”, pondera a editora Sonia Jardim, da Record, que está trabalhando no exterior Se Eu Fechar os Olhos Agora, estreia do jornalista Edney Silvestre, que chega chancelado pelo Prêmio Jabuti do ano passado. A Record também negocia o próximo do autor, Felicidade Fácil, que só sai mês que vem.

A imagem do Brasil como a terra exótica de Jorge Amado persiste, acredita o escritor João Paulo Cuenca. Certa vez, ele conta, ouviu de uma editora em Paris que não publicaria O Dia Mastroianni, seu segundo livro (hoje na Itália e em Portugal), porque ele “poderia ter sido escrito em qualquer país”.

“A gente tem que mostrar que tem uma palavra sobre o mundo, e não só sobre o Brasil. O papel do governo é fundamental. Os livros espanhóis e franceses que lemos aqui tiveram esse apoio lá”, defende Cuenca. Seu terceiro título, O Único Final Feliz para Uma História de Amor É Um Acidente, vai sair na Espanha e na Alemanha.

Tradicionalmente, autores que escrevem em inglês, francês e alemão são os que geram maior número de traduções no mundo. “A língua é a dificuldade central, mas é preciso também que haja um foco dos agentes e das editoras nisso. Não adianta achar que só porque o livro foi bem aqui tudo vai cair do céu”, pontua Lucia Riff, a principal agente literária em atividade. Entre seus autores mais traduzidos estão Luis Fernando Verissimo, Lya Luft, Marcelo Ferroni e Leticia Wierzchowski.

Nesse esforço, a homenagem ao Brasil na Bienal – curiosamente, é a primeira vez em 15 edições – dá a partida a uma série que se pretende estender até 2020. Em 2012, o Brasil é o foco da feira de Bogotá; em 2013, o mesmo acontece em Frankfurt, na maior do mundo; em 2014, em Bolonha, a mais importante para o setor infanto-juvenil. 

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,programa-para-tradutores,767364,0.htm

No Comments »

No comments yet.

Leave a comment