Site em português Site em inglês
BTS - Business Translation Services 11 3289.2289
info@btsglobal.com.br
Google Plus Linkedin Twitter Facebook
Empresa de Tradução com mais de 15 anos e 5.000 clientes atendidos.

Idiomas oferecidos

Tradução para português Tradução para inglês Tradução para espanhol Tradução para italiano Tradução para alemão Tradução para francês
Publicado por Luiz Fernando Casanova Doin, em 08/11/2012, na(s) categoria(s): Notícias.

Drummond, tradutor

Que ele é o poeta mais consagrado do Brasil todo mundo sabe ou faz ideia. Mas que Carlos Drummond de Andrade também atuou como tradutor, e dos bons, poucos tiveram notícia.

São Paulo, SP – Em novembro de 1946, num artigo para a Revista Acadêmica, o poeta e escritor Carlos Drummond de Andrade fez uma rara avaliação a respeito de sua atividade como tradutor, quase como se pedisse desculpas pela ousadia. No artigo, impregnado de um lirismo típico do mais carioca dos poetas mineiros, Drummond descrevia o trabalho de passar para o português o romance As Relações Perigosas, do general francês Choderlos de Laclos. “O gosto do livro despertou em mim o apetite de traduzi-lo. Nunca fui amante de traduções: por falta de habilitação e de paciência. É esse ofício de traduzir, alguma coisa como a navegação por mares nevoentos, em que você tanto pode salvar-se como topar com um recife, a proa de outro barco, o peixe-fantasma, a mina flutuante e o raio. Às vezes imaginamos que estamos traduzindo e estamos simplesmente falsificando: culpa da cerração no mar de línguas, senão da própria irredutibilidade do texto literário.(…) Traduzi com grandes pausas, como se deve beber cachaça, e se não estou satisfeito com o meu trabalho, confesso que dele tirei prazer.”

Engana-se quem pensa que esse tradutor envergonhado seja acidental ou circunstancial, espécie de hobby de um gigante poeta, cronista e romancista. Longe disso. Usando às vezes pseudônimos, às vezes o próprio nome, Drummond traduziu muito – não apenas prosa e teatro, como As Relações Perigosas – mas especialmente poetas que acabaram influenciando decisivamente sua própria obra, como Federico García Lorca, Pedro Salinas, Juan Jamón Jiménez, André Verdet, Guillaume Apollinaire ou Jules Supervielle. É o que se conclui de um dos mais importantes lançamentos literários do ano: o livro Poesia Traduzida, que a editora Cosac Naify acaba de enviar para as livrarias.

Megacelebração terá início em outubro
FABIO VICTOR – Folhapress
São Paulo, SP – Um livro de poemas inéditos, uma nova editora, títulos especiais, acervo pessoal sob nova guarda, homenagem na Flip, exposições, uma nova antologia em inglês. Se Carlos Drummond de Andrade já é o poeta mais consagrado do Brasil, nos próximos meses tudo conspira para torná-lo mais célebre. Uma enxurrada de acontecimentos terá lugar em 2012, quando se completam 110 anos de nascimento e 25 anos de sua morte – ele nasceu em 1902 em Itabira (MG) e morreu em 1987 no Rio. As prévias começam em 31 de outubro, quando o Instituto Moreira Salles promove o “Dia D”, série de eventos na data em que nasceu o poeta. A ideia do IMS é que o festejo extrapole os limites do instituto e entre para o calendário cultural do País, como o Bloomsday para a obra de James Joyce (1882-1941).

A OBRA EM DETALHES 
Poesia Traduzida apresenta ao leitor uma faceta quase desconhecida de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), reunindo pela primeira vez as traduções de poesia feitas pelo escritor mineiro, publicadas em jornais e revistas a partir do francês, do espanhol e do inglês. O conjunto totaliza 64 poemas e resultou de pesquisa feita pelos organizadores do volume, que localizaram originais a partir de indicações do arquivo de Drummond depositado na Fundação Casa de Rui Barbosa (RJ) e de especialistas na obra do poeta. Notas ao final do volume elucidam as circunstâncias de publicação de cada poema, incluindo explicações do próprio Drummond que originalmente acompanharam alguns dos textos. O volume compila traduções de poemas de Vicente Aleixandre, Guillaume Apollinaire, José Antonio Balbontín, Fernando de Córdoba y Bocanegra, Bertolt Brecht, Aimé Césaire, Paul Claudel, Marie-Laure David, Paul Éluard, Ralph Waldo Emerson, Leon-Paul Fargue, Léon Felipe, Carmen Bernos de Gasztold, Arnoul Gréban, Jean Michel, Nicolás Guillén, Heinrich Heine, Isabel, Juan Ramón Jiménez, Erich Kästner, Valery Larbaud, Federico García Lorca, Edwin Markham, Phyllis Macginley, Jane Merchant, Edna St. Vincent Millay, Paul Morand, Ogden Nash, Fredrik Nygard, Sigbjorn Obstfelder, Félix Paredes, Dorothy Parker, Coventry Patmore, Horacio Peña, Jacques Prévert, Arturo Torres-Rioseco, Felipe C. Ruanova, Pedro Salinas, Carl Sandburg, George Santayana, Henry Spiess, Jules Supervielle, Julian Tuwin, André Verdet e Charles Vildrac.

SERVIÇO 
Título: Poesia Traduzida
Autor: Carlos Drummond de Andrade
Org. e notas: Augusto Massi e Júlio Castañon Guimarães
Editora: Cosac Naify Preço:
R$ 78 (448 págs.) << >>
Leia mais na versão impressa

Fonte: http://gazetaweb.globo.com/v2/gazetadealagoas/texto_completo.php?cod=188714&ass=8&data=2011-09-08

No Comments »

No comments yet.

Leave a comment