Site em português Site em inglês
BTS - Business Translation Services 11 3289.2289
info@btsglobal.com.br
Google Plus Linkedin Twitter Facebook
Empresa de Tradução com mais de 15 anos e 5.000 clientes atendidos.

Idiomas oferecidos

Tradução para português Tradução para inglês Tradução para espanhol Tradução para italiano Tradução para alemão Tradução para francês
Publicado por Luiz Fernando Casanova Doin, em 08/11/2012, na(s) categoria(s): Notícias.

Da tradução como dever do Estado, etc.

Sem querer ser chato, acho que vale a pena levantar a questão do acesso. Para quem teve a oportunidade de aprender várias línguas, e tem acesso a boas edições, de grandes tradutores, vale reclamar de nuances nos textos traduzidos. Mas quando se trata de leitura, sou daqueles que costumam dizer sempre: “É melhor do que nada”. Cheguei a estudar Filosofia um ano, e lembro que muitas pessoas falavam mal da coleção “Os pensadores”. De fato, ela não traz as melhores traduções, mas não creio que atrapalhem estudantes do primeiro período. Concordo que é muito melhor ler Kant em alemão, mas devo esperar aprender a língua para fazê-lo?

Comentário de Pedro — 31/10/2006 @ 1:58 pm

Pedro, traduções, boas ou más, são fundamentais. Querer que uma obra só faça sentido no original é defensável para a poesia, mas para qualquer prosa, de filosofia a literatura, denuncia um elitismo alarmante. Além de um separatismo cultural no grau mais insano: “Jamais saberás o que disse Dostoiévski, até aprenderes russo”, a sentença pairaria sobre todas as cabeças não-russas da humanidade do primeiro ao último dia de suas vidas. É nesse mundo que vivem os inimigos da tradução.

A tradução é uma necessidade humana básica, e um dos mais sensíveis termômetros da inteligência coletiva de um país. Quando é inepta pode ser, sim, desastrosa para uma obra. Provavelmente mais para a ficção do que para a filosofia (concordo sobre os Pensadores). Não se trata de “nuance”, como você diz, não é capricho. Falta legibilidade, ritmo, a bênção de não tropeçar a cada vírgula, conhecimento literário da língua, enfim. Tudo o que afinal faz o sujeito ler literatura. Temos excelentes tradutores, os que você citou e outros, mas nosso volume de tradução abaixo do medíocre é consistente. Com o que pagam, não se estranha, até pelo contrário: entende-se muito bem. As editoras dizem que não dá para pagar mais, que pagar mais comprometeria o negócio. Quando aumentam, é pouco.

Está errado. O bom tradutor precisa ser recompensado com opulência. A tradução é tão importante que deveria ser subsidiada. Isso aí. As quatro necessidades sociais básicas que cabe ao Estado prover: educação, saúde, segurança e tradução.

Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/todoprosa/posts/da-traduo-como-dever-do-estado-etc/

No Comments »

No comments yet.

Leave a comment