Site em português Site em inglês
BTS - Business Translation Services 11 3289.2289
info@btsglobal.com.br
Google Plus Linkedin Twitter Facebook
Empresa de Tradução com mais de 15 anos e 5.000 clientes atendidos.

Idiomas oferecidos

Tradução para português Tradução para inglês Tradução para espanhol Tradução para italiano Tradução para alemão Tradução para francês
Publicado por Luiz Fernando Casanova Doin, em 07/03/2011, na(s) categoria(s): Blog de tradução, Preços de Tradução.

A involução dos preços de tradução e a utópica tabela do SINTRA

A involução dos preços de tradução e a utópica tabela do SINTRAVira e mexe os tradutores perguntam: “como (e quanto) devo cobrar?” E são sistematicamente orientados a seguir a tabela do SINTRA (Sindicato Nacional dos Tradutores). Nas listas de tradutores, nos blogs de tradução, enfim, de maneira geral, a orientação é: sigam a Tabela do SINTRA!

Sinto informar que essa tabela é utópica e tenho certeza que somente aqueles (pouquíssimos) tradutores que ocupam o topo da cadeia alimentar da tradução conseguem praticá-la. A realidade é muito mais dura do que os preços sugeridos nessa tabela.

Vou pegar algumas sugestões de preço da tabela do SINTRA para colocar as coisas em perspectiva: Tradução – R$ 0,24/palavra (de um idioma estrangeiro para o português). Considerando que a lauda da JUCESP (Junta Comercial do Estado de São Paulo) tem 1000 caracteres de texto sem espaços, ou cerca de 180 palavras, teríamos: 180 palavras x R$ 0,24 = R$ 43,20/lauda. Para versões, a tabela vai além: R$ 0,32/palavra (do português para um idioma estrangeiro) ou aproximadamente R$ 57,60/lauda! Isso sem contar eventuais taxas de urgência.

Gostaria muito de praticar esses preços, mas eles estão cada vez mais inviáveis no mercado brasileiro atual (sugiro que vocês também leiam o meu artigo “O famigerado menor preço global”). Há uma clara tendência de “involução” dos preços de tradução. A concorrência vem se intensificando, as empresas buscam preço e qualidade (e algumas vezes apenas preço!), colocando o departamento de compras como seu interlocutor. A “comoditização” das traduções é um fenômeno que ganha força. Tudo isso vai de encontro aos preços sugeridos pelo SINTRA.

Certamente devemos nos valorizar e procurar cobrar preços compatíveis com nossa experiência e especialização. No entanto, não acredito em fórmulas mágicas e nem em tabelas de referência. Antes de mais nada, deve prevalecer o bom senso. Uma tradução técnica é teoricamente mais complexa do que a tradução de uma simples correspondência e, portanto, deveria ser mais cara que a segunda. O SINTRA aparentemente não diferencia uma tradução da outra (a não ser a literária) e propõe valores fixos por palavra. Outro furo grave: não está claro se os preços por palavra se referem ao texto de origem (source) ou de destino (target).

Resumo da história: é muito difícil cobrar os preços sugeridos pelo SINTRA. Certamente há nichos onde esses preços são possíveis (e praticados), mas de maneira geral o mercado trabalha com valores bem inferiores a esses.

No Comments »

No comments yet.

Leave a comment